Ibope mostra que brasileiros confiam nas igrejas, enquanto políticos são vistos com descrença

, 03/08/2017 às 21:20:18

Uma pesquisa que mede a confiança do brasileiro nas instituições que o cercam mostrou que as igrejas possuem prestígio sólido e crescente junto à população, ficando atrás apenas dos bombeiros. Em contra-partida, toda a classe política, incluindo os partidos, são vistos com desconfiança.

 

O levantamento realizado pelo Ibope desde 2009, chamado Índice de Confiança Social (ICS), é um indicador “da confiança declarada pela população em 20 instituições e em quatro grupos sociais”. O Corpo de Bombeiros ocupa a primeira posição desde a primeira edição, seguido pelas igrejas.

Na pesquisa mais recente, as igrejas se mantiveram na segunda posição, porém ampliando os índices de confiança, saltando de 67 para 72 pontos, mesmo patamar que já haviam alcançado em 2011.

 

A Polícia Federal, que vem tendo grande destaque por conta de operações anticorrupção, como a Lava-Jato, ocupa a terceira posição, saltando de 67 em 2016 para 72 neste ano. Completam a lista dos primeiros colocados as Forças Armadas (68 pontos), Escolas Públicas (63) e Meios de Comunicação (61).

 

Um parceiro da PF no combate à corrupção, o Ministério Público aparece na 11ª colocação, com os mesmos 54 pontos de 2016. Esse desempenho se deve ao fato de que, Brasil afora, os procuradores nem sempre alinhados com o pensamento popular e, muitas vezes, interpretam a lei de forma heterodoxa, causando medidas que levam a desaprovação de setores da sociedade.

Na outra ponta, a confiança dos brasileiros no sistema eleitoral caiu de 37 em 2016 para 25 neste ano; no Congresso Nacional, de 22 ano passado para 18 em 2017; e nos partidos políticos, de 18 para 17. A instituição “presidente da República” registra o pior índice: 14 pontos, contra 30 em 2016.

 

Os pesquisadores averiguaram que em termos de sociedade, os brasileiros demonstram maior confiança na família e amigos, mas quando essa comparação é feita em relação à totalidade da população, a confiança diminui.

 

“Neste ano, a confiança nas pessoas da família permanece praticamente a mesma do ano passado, passando de 86 para 85 pontos. Amigos, vizinhos e brasileiros, de um modo geral, seguem a mesma linha e registram pequenas variações em relação ao ano anterior”, diz o relatório do Ibope Inteligência, que mostra a confiança dos brasileiros na população em 55 pontos, um a mais que 2016.